segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Brasil x Chile

O Brasil entrou em campo com a moral do gato morto dentro da caixa de sapato na noite chuvosa de sexta-feira. Até quem não sabe falar, falou mal desse grupo de sujeitos que detém nas contas bancárias valores maiores que o PIB do país que representam. Só quem não fala nada é Dunga. Acho que a solução pra falta de eloquência dele é por uma faixa de capitão no seu braço. Aí a coisa anda, quer ver?

Começou. Robinho disse que quer jogar. O time entra com 3 jogadores a menos e ainda assim ataca. Se o juiz expulsar mais um, acaba o jogo. Um dos jogadores que não entrou despacha a bola pro meio de uma confusão que é maior que as de quarta no Chalé Bar. O "Fabuloso" sobe e tira do goleiro. 1 a 0 sem espuma. Futebol é engraçado: Diego sofre uma tentaiva de homícidio e invés da prisão preventiva do zagueiro é marcado apenas um penalti. O camisa 80 do Milan tratou de perder.

O ex-galático lembra do tempo que fazia pouco dos corinthianos pelo Peixe e manda um pedarto depois de passe mais açucarado que um ki-suki. 2 a 0.

Os times cansam de correr pro mesmo lado e trocam de lugar a fim de preservar o gramado surrado apenas na esquerda do Galvão Bueno. Kleber voltou apenas pra praticar um golpe de judô e depois sair. Cara burro, pois lá de dentro se tem a melhor visão do jogo.

Os rapazes de vermelhos gostam tanto da cor que jogam pra ver sua torcida combinando com suas camisas.

O jogo é encerrado com um gol bem feio, mas como o que vale é bola na rede e não notas de juízes como no salto ornamental é 3 a 0 e nada mais.

Um comentário:

ricardinho disse...

"moral do gato morto dentro da caixa de sapato na noite chuvosa de sexta-feira"


caralho bicho, coitados deles, ainda bem que so acompanho jogos do estrelão, não acompanho peladas. Helder, Descreve a moral do Marcelo Brás ai pra mim....